Tratamento de água

Para que a água chegue até sua casa, própria para o consumo e livres de doenças, é preciso que ela receba tratamento. A água in natura nem sempre é boa para o consumo, ela pode estar poluída e até contaminada.

  • Água Poluída: que apresenta impurezas, como os detritos encontrados nos rios. Essa água pode ser tratada para tornar-se potável. 
  • Água Contaminada: que contém impurezas nocivas, normalmente imperceptíveis por não apresentarem cheiro, cor, nem alteração de textura. Mas provocam várias doenças e se transforma em vetor de epidemias. A água contaminada não pode de forma alguma ser utilizada pela população. 

As empresas de saneamento como a SAMAR analisam constantemente a água dos mananciais que utilizam para, em seguida, definir o tratamento mais adequado. Sistemas de filtragem, decantação e floculação podem ser utilizados para remoção de elementos, mas, quase sempre, há a necessidade de se adicionar à água alguns elementos químicos, fundamentais para garantir sua potabilidade e, consequentemente, a saúde e o bem estar da população.

As etapas de tratamento passam pela mistura rápida, com a adição de produtos químicos. Em seguida, acontece a filtração para remover flocos residuais, em unidades idênticas às usadas na decantação.

 

Estações de Tratamento Baguaçu I e II

Para que a água chegue até sua casa, própria para o consumo e livres de doenças, é preciso que ela receba tratamento. A água in natura nem sempre é boa para o consumo, ela pode estar poluída e até contaminada.

Água Poluída: que apresenta impurezas, como os detritos encontrados nos rios. Essa água pode ser tratada para tornar-se potável. Água Contaminada: que contém impurezas nocivas, normalmente imperceptíveis por não apresentarem cheiro, cor, nem alteração de textura. Mas provocam várias doenças e se transforma em vetor de epidemias. A água contaminada não pode de forma alguma ser utilizada pela população. 

As empresas de saneamento como a SAMAR analisam constantemente a água dos mananciais que utilizam para, em seguida, definir o tratamento mais adequado. Sistemas de filtragem, decantação e floculação podem ser utilizados para remoção de elementos, mas, quase sempre, há a necessidade de se adicionar à água alguns elementos químicos, fundamentais para garantir sua potabilidade e, consequentemente, a saúde e o bem estar da população.

As etapas de tratamento passam pela mistura rápida, com a adição de produtos químicos. Em seguida, acontece a filtração para remover flocos residuais, em unidades idênticas às usadas na decantação.

 

Método de tratamento

Captação > Floculação > Decantação > Filtração

  • A água do Baguaçu é captada por bombas para os tanques
  • Na primeira fase do tratamento, a água é misturada com policloreto de alumínio, que promove a aglomeração de impurezas e acelera a coagulação. Esse é o processo de Floculação, no qual a água é movimentada, fazendo com que as impurezas se aglutinem ainda mais.
  • Na fase de decantação, as impurezas aglutinadas afundam e permanecem no fundo do tanque, separando-se da água.
  • Em seguida, a água passa por filtros de areia e carvão que retiram as impurezas que ainda restam.
  • Logo após, a água recebe cloro, cal e flúor. O cloro elimina os microorganismos presentes na água, evitando doenças e mantendo-a saudável até que chegue às torneiras. O cal é utilizado para corrigir o pH (índice de acidez) da água. E o flúor auxilia a redução das cáries dentárias, principalmente durante a idade da formação dos dentes (até aproximadamente 14 anos).
  • Finalmente, a água tratada é bombeada para os reservatórios, situados nos pontos mais elevados da cidade, até chegar à população. A SAMAR conta com diversos reservatórios espalhados em pontos estratégicos da cidade para garantir a regularidade no abastecimento de água.

 

Estação de Tratamento de Água Tietê

Inaugurada em junho de 2013, a Estação de Tratamento de Água Tietê possibilita a captação e bombeamento de águas do rio Tietê para a população da cidade, com capacidade de operar 24 milhões de litros de água por dia. O projeto foi realizado em três etapas e recebeu investimento total de R$ 25 milhões. Na primeira etapa, foi construída a via adutora de 15 km, que liga o rio Tietê à estação. A etapa seguinte foi caracterizada pela construção da própria estação de captação e bombeamento de água, às margens do rio.

A terceira e última fase representa a interligação ao reservatório do bairro Ipanema. Diferentemente das outras duas estações do município, onde o sistema de tratamento é o de decantação, a ETA-Tietê opera com o sistema de flotofiltração. Trata-se de uma moderna alternativa de tratamento de água, considerado compacto e eficaz, principalmente na eliminação de microalgas. A nova estação produz em torno de 25 mil metros cúbicos de água por dia para suprir a demanda da zona norte da cidade.

 

Método de tratamento

Captação > Flotofiltração > Filtração

  • A água do Tietê é captada por bombas para os tanques
  • Na primeira fase do tratamento, a água é misturada com policloreto de alumínio, que promove a aglomeração de impurezas e acelera a coagulação. Esse é o processo de Floculação, no qual a água é movimentada, fazendo com que as impurezas se aglutinem ainda mais.
  • A segunda fase os flocos com as impurezas são elevados para a superfície do tanque com o auxilio de microbolhas de ar, separando-se de água.
  •  Em seguida, a água passa por filtros de areia e carvão que retiram as impurezas que ainda restam.
  • Logo após, a água recebe cloro e flúor. O cloro elimina os microorganismos presentes na água, evitando doenças e mantendo-a saudável até que chegue às torneiras. E o flúor auxilia a redução das cáries dentárias, principalmente durante a idade da formação dos dentes (até aproximadamente 14 anos).
  • Finalmente, a água tratada é bombeada para os reservatórios, situados nos pontos mais elevados da cidade, até chegar à população. A SAMAR conta com diversos reservatórios espalhados em pontos estratégicos da cidade para garantir a regularidade no abastecimento de água.